SoftComInVet project é um projecto do Erasmus + na Área de parcerias estratégicas para educação vocacional e formação que envisa

Acerca do Projecto SoftComInVET

A mobilidade na aprendizagem é uma das acções fundamentais que ajudam os indivíduos, particularmente os jovens, para reforçar o seu desenvolvimento pessoal e profissional e a sua empregabilidade futura.

Torna a instituição de educação e formação mais acessível; promove a construção de uma sociedade de conhecimento intensivo; reforça o sentido da identidade e cidadania europeias e impulsiona o intercâmbio de conhecimentos e boas práticas que é a chave para o futuro da Europa baseado no conhecimento.

Segundo as estatísticas da Comissão Europeia, publicadas em 28.01.20, em 2018 mais de 850 000 cidadãos da UE participaram em projectos de mobilidade (Erasmus + Relatório Anual 2018). 23 500

Os projectos foram executados com um orçamento de quase 2,8 mil milhões de euros. Neste sentido, assegurar a alta qualidade do serviço de EFP tornou-se ainda mais importante e desafiante tarefa para a comunidade europeia.

As PMEs são actores importantes no EFP e na aprendizagem ao longo da vida e precisam de apoio direccionado. As medidas de apoio devem ajudar as PME a ultrapassar as barreiras externas e internas e a compensar para a capacidade limitada das PMEs de identificar e responder às suas necessidades de aprendizagem, onde o desenvolvimento de competências daqueles que formam outros no local de trabalho pode ser parte”. (Orientação princípios sobre o desenvolvimento profissional dos formadores em EFP, Comissão Europeia). As PME representam o “manual prático” do estagiário no mundo do trabalho.

O sucesso das colocações no estrangeiro dependem muito do grau de contacto do estagiário com os mentores. Neste processo pessoal e intercultural, o papel dos formadores é central.

Os mentores nas PMEs, proporcionando estágios de mobilidade, representam a espinha dorsal do serviço de qualidade.

Actualmente enfrentam uma série de desafios – não só têm de responder rapidamente a dinâmica do mercado de trabalho, o rápido progresso das TIC e as mudanças na metodologia do EFP, mas também precisam de desenvolver a sua empatia, comunicação e competências sociais – as suas competências transversais. Nas organizações, estes empregados não são apenas mentores – são gestores, especialistas operacionais, etc. Embora existam muitos cursos desenvolvidos com o objectivo de impulsionar os conhecimentos práticos e técnicos especializados, não existe uma abordagem clara criada, directamente relacionada com a melhoria das competências transversais dos formadores na empresa. O local de trabalho internacional tem desenvolvido uma dinâmica interpessoal que não pode ser ignorada.

A publicação FSE de cooperação transnacional “Como impulsionar o reconhecimento de competências transversais” afirma que hoje em dia “as competências transversais estão a tornar-se tão importante como as competências profissionais”.

A nível da UE, as competências transversais tornaram-se não só um tema sonante, mas uma necessidade importante e vital para os mentores presentes e futuros nas PMEs. Neste aspecto, o projecto SoftComInVET foca o âmbito de aplicação neste assunto específico.

Finalidade e Objectivos do Projecto

O principal objectivo do projecto é aumentar a capacidade de conhecimento dos mentores de formação em empresas de PMEs da UE, proporcionando estágios para alunos de EFP, e melhorar a sua capacidade de lidar com os desafios que enfrentam, equipando-os com um conjunto específico de ferramentas para o desenvolvimento de competências transversais centradas na garantia de estágios de alta qualidade e na transmissão eficiente dos seus conhecimentos práticos aos alunos de EFP.

Objectivos específicos de SoftComInVET:

Valor Acrescentado Transnacional

Os mentores nas PMEs, que proporcionam estágios de mobilidade, foram identificados como actores importantes para assegurar a qualidade da aprendizagem baseada no trabalho e o EFP em geral, e precisam de ser apoiados e capacitados transnacionalmente (CEDEFOP).

A cooperação internacional permitirá tirar partido das complementaridades institucionais; assegurar uma ampla disseminação dos resultados do projecto e atingir uma representação muito maior do grupo alvo, multiplicando assim o impacto do projecto numa perspectiva geográfica.

A diversidade linguística do IOs permitirá uma fácil transferência para outros países e a usabilidade para pessoas fluentes em algumas das línguas dos parceiros.